quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Matheense Football Club


Nome : 
Matheense Football Club
Data : 15 de fevereiro de 1922
Local: São Mateus
Estádio : Othovarino Duarte dos Santos
Capacidade : 1.000 pessoas
Títulos : Vice Campeão Capixaba Série B 1994 

Modelo com a perna do "M" menor também foi oficial



15 de fevereiro de 1922 é adotada como data de fundação do Matheense Football Club, esta data é a de criação do hino do clube. A primeira aprte do hino dizia "Matheense, Levantae, Vosso altivo pavilhão, Venceste herói e invicto, Oh glorioso campeão"
O clube de São Mateus no Norte capixaba mandava suas partidas Estádio Othovarino Duarte dos Santos, localizado no Bairro Sernamby, mesmo Bairro do São Mateus, maior rival, com capacidade de 1000 pessoas, atualmente o estádio  está com um conflito na justiça sobre a quem pertence e qual destino da área.

Zeca, como "Keeper", Edgar Andrade, Agenor Lé, Mirabeau, Brahim, Zico, Cosme, Aflordízio, Maçarico, Tonsinho e Deco, é uma das primeiras escalaçõs do Matheense.
O clube que mais tarde assumiu o nome "abrasileirado" Mateense Futebol Clube, foi vice campeão estadual de 1994 da série B.

Uma campanha arrasadora, na 1ª fase nenhuma derrota, o Mateense vence 6 das 10 partidas disputadas, apenas o Canário conseguiu sair sem ser derrotado pelo clube colorado. 

A estréia foi em Colatina diante do Real Madri em 11 de setembro empate em 1x1, na partida de estréia em casa uma semana depois vitória por 2x1 sobre o Botafogo de Jaguaré no Estádio 
Othovarino Duarte dos Santos. Nova partida em casa e vitória por 2x0 sobre o Santa Maria, em Pedro Canário empate em 2x2 como Canário e fechando o turno 3x1 sobre o Nacional de Itaguaçu em casa.
No returno 2x0 sobre o Real Madri em casa, 0x0 com Botafogo em Jaguaré e após a vitória por 3x1 sobre o Santa Maria, duas antes do fim da 1ª fase o Mateense confirmava sua vaga nas semi finais. Mesmo cumprindo tabela o Mateense não perdeu, 1x1 com o Canário em casa e 3x1 no Nacional em Itaguaçu.


Vem a semi final, hora de mostrar que a 1ª fase não foi em vão. O Guarapari veio como segundo colocado na outra chave 13 pontos mesmos
 do Mimosense líder porém no saldo de gols ficou em segundo.

Na ida no Davino Mattos em Guarapari a 1ª derrota do Mateense na competição, nada que assusta-se o melhor colocado da 1ª fase.
Na partida de volta uma simples vitória levaria o Mateense ela primeira vez a série A do capixaba já que havia perdido por 1x0 apenas, por ter a melhor campanha uma vitória simples vitória classificava o time colorado, fez até melhor e venceu por 2x0.

Final
Na ida vitória por 1x0 deixou o Mateense um empate do título inédito, mas na partida de volta em Mimoso do Sul o Mimosense venceu por 2x0 e conquistou o troféu deixando o Mateense com o Troféu 
Antônio Correia de Brito dado ao vice campeão. 27 de novembro marcou a última partida como profissionais pois em 1995 o Mateense abdicou de jogar a série A e acabou fundindo seu elenco com com o São Mateus e não jogou a primeira divisão. 
Em 2004 foi a última vez que se tem registros do Mateense entrando em campo, disputou o municipal de São Mateus ficando com o vice campeonato depois não retornou mais segundo pesquisas.

Turno
Real Madri 1x1 Mateense
Mateense 2x1 Botafogo
Mateense 2x0 Santa Maria
Canário 2x2 Mateense
Mateense 3x1 Nacional de Itaguaçu
Returno

Mateense 2x0 Real Madri
Botafogo 0x0 Mateense
Santa Teresa 1x3 Mateense
Mateense 1x1 Canário
Nacional 
de Itaguaçu 1x3 Mateense 

Semi Final
Partida de ida
Guarapari 1x0 Mateense
Partida de volta
Mateense 2x0 Guarapari
Final
Partida de ida
Mateense 1x0 Mimosense
Partida de volta
Mimosense 2x0 Mateense
Taça Antônio Correia de Brito vice campeão estadual Série B 1994

O Matheense tem como maior rival a Associação Atlética São Mateus, com quem fez vários jogos empolgantes, principalmente nos anos 70 auge da rivalidade, ambas equipes do Bairro Sernamby com estádios muito próximos, cerca de 5 a 10 minutos a pé oque facilitava e aumentava muito a rivalidade, eram jogos típicos de interior, muita força na marcação entradas ríspidas mas sem perder os momentos de técnica e habilidade, fora de campo já ocorreu até briga de ripas, fogos de artifício da torcida do Matheense quando o São Mateus perdia seus jogos em casa no campeonato estadual, ou até mesmo quando apenas sofria gols dos adversários. Certa vez um clássico teve público de aproximadamente 3 mil pessoas no estádio Othovarino.
Aqui pode ser conferida a distância entre o Sernamby e o Othovarino.





Modelo real do mateense




Modelo titular do Matheense


Modelo reserva do Matheense


Arquibancada do estádio em detalhes

Arquibancada vista da rua

Resultado de imagem para Estádio Othovarino Duarte dos Santos
Para quem conhece futebol capixaba a arquibancada do estádio é mais distante do gramado que do Estádio Joaquim Calmon do América em Linhares.

 

Entrada principal do estádio que por curiosidade tem o terreno maior que o do Sernamby do São Mateus

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Leão de São Marcos Futebol Clube

Resultado de imagem para Leão de São Marcos Esporte Clube
Nome : Leão de São Marcos Futebol Clube
Data : 9 de fevereiro de 1955
Local : Nova Venécia
Estádio : Zenor Pedrosa Rocha (Municipal)
Escudo do clube durante uns anos da década de 60
Aqui outro modelo também adotado por um período oficialmente


Leão de São Marcos Futebol Clube fundado em 09 de fevereiro de 1955, é um clube do Município de Nova Venécia e na década de 70 recebeu um grande prêmio, o de clube com nome mais bonito do Brasil (matéria no final do post). 

O nome do clube foi idéia de um sacristão da Ordem dos Padres Cambonianos que ao ver a estátua do Leão de São Marcos recebida pela Igreja matriz vinda direto de Veneza na Itália, sendo assim ficou decido o nome Leão de São Marcos Futebol Clube e as cores verde e amarela.


Quando retornou ao futebol em meados de 2008 o Leão usou este escudo em seu manto 

Após uns anos o clube paralisou as atividades (de 1973 até 1975), ressurgiu com força em 1976. Isso graças ao "milagre" do Padre Emílio Gonzáles Escalada, espanhol amante e praticante de futebol, que inclusive antes jogava no Veneciano, grande rival do Leão. O retorno foi em um amistoso contra o América de Linhares equipe temida na região pela sua força e técnica um adversário duro de ser batido, mas o Leão rugiu e venceu de virada por 2x1 em Nova Venécia. 
Padre Emílio se tornou presidente do clube e filou-o a Federação de Futebol Espírito Santo (FDE na época).
Equipe de 1976. Em pé: Pe: Emílo, Jefinho, Nilson, Dubagre, Desconhecido, Iô, Puri,Tuca, Tião e Campari.
Agachados: Paulo Tomáz, Bate-Pau, Lula, Desconhecido, Evanildo, Valter, Carlinho Alemão e Baianinho

Em 1977 o Leão entrou na série A capixaba, e seu início foi muito animador, empate com o Rio Branco em 1x1 fora de casa, vitória por 2x1 em casa sobre o III de Maio, e novo empate em 1x1 desta vez contra a Desportiva, o Leão só foi derrotado na 4ª partida, 2x0 para o Vitória, ou seja enfrentou os 3 gigantes do estado e perdeu apenas uma. Nesta primeira fase o Leão venceu 5 partidas, isso colocou o time na briga por uma das vagas na 2ª fase. O Leão chegava  com 12 pontos 14 do Veneciano  e do Guarapari. A equipe precisava vencer o Santo Antônio  na capital e torcer por derrota do Guarapari contra Estrela ou do veneciano contra o Vitória ambos jogando em casa. O Leão fez a sua parte e conseguiu vencer o Santo Antônio por 1x0 chegando aos 14 pontos mas para sua decepção Guarapari e Veneciano empataram suas partidas em 0x0 avançando de fase, o Leão terminava em 9º lugar e agora disputaria a repescagem.

1ª Fase
Rio Branco 1x1  Leão de São Marcos
Leão de São Marcos  2x1  III de Maio
Desportiva  1x1  Leão de São Marcos
Vitória  2x0  Leão de São Marcos
Leão de São Marcos   0x0  Santos Barra de São Francisco 
Leão de São Marcos  1x0  Caxias
Leão de São Marcos  1x0  Estrela do Norte
Leão de São Marcos  1x1   Industrial
Leão de São Marcos  0x1  Ceunes
Leão de São Marcos  0x1  São Mateus
Guarapari  2x0  Leão de São Marcos
Leão de São Marcos  1x0  Veneciano 
Santo Antônio  0x1  Leão de São Marcos

Nesta fase o inferno poderia levar direto ao céu pois um líder sairia daqui direto para o Quadrangular final, ou seja este caminho era mais fácil afinal os times não classificados entre os 8 estariam se enfrentando nesta fase.

Mas o início foi desmotivante, o Leão foi derrotado pelo III de Maio que só havia marcado 4 pontos em 26 disputados na fase anterior. Na rodada seguinte empate com Industrial em Linhares e nova derrota em casa 2x1 para o Caxias já deixava o sonho do "céu" mais distante. Depois vieram 4 empates em 0x0 seguidos, na última rodada já eliminado o leão se despediu derrotando o III de Maio por 1x0. No geral o Leão de Sã Marcos encerrou na 9ª colocação com 21 pontos em 21 partidas, 6 vitórias, 9 empates e 6 derrotas, 12 gols a favor e 15 contra. Uma partida marcante e histórica foi em 10 de julho de 1977, pela primeira vez os grandes rivais leão e Veneciano se enfrentaram pela Série A capixaba, o clássico cheio de rivalidade local tomava proporções estaduais, nesta partida o Leão se deu melhor e saiu de campo com a vitória por 1x0, dizem que quase 9 mil pessoas se apertaram no Estádio Zenor Pedrosa para ver a peleja. 

Fase Repescagem

Turno
Leão de São Marcos  0x2  III de Maio
Industrial  1x1  Leão de São Marcos
Leão de São Marcos  1x2  Caxias
Leão de São Marcos   0x0  Santos Barra de São Francisco 
Returno
Leão de São Marcos  0x0  Caxias
Santos Barra de São Francisco  0x0  Leão de São Marcos 
Leão de São Marcos  0x0   Industrial
Leão de São Marcos  1x0  III de Maio
Em pé: Zequinha Zanoni, Bate-Pau, Tiãozão, Bebeto, Iô, Carlos Orelha, Lula, Alcir, Dubagre e Bartollo.
Agachados: Dica, Cesar, Chulé, Luisinho, Jorge Luis, Tuíra, Pelezainho e Enock.

Em 1979 a torcida leonina viu logo de cara que as coisas seriam muito duras, o Leão só venceu uma das 10 partidas do 1º turno 3x2 sobre o Ordem e Progresso com quem brigava para escapar da lanterna. A 3ª rodada contra a Desportiva foi catastrófica com derrota por 8x1. O leão sofria um sério defeito empatava demais suas partidas.
No returno os 8x1 sofridos para a Desportiva mostram como foi um jogo atípico, o Leão sofreu apenas 5 gols em 10 partidas, mas o ataque fez apenas 4, destaque para vitórias históricas sobre Desportiva por 1x0 em casa que era questão de honra após o último embate no turno, e 1x0 sobre o Vitória fora de casa na sua despedida do estadual de 79. Nos clássicos contra o Veneciano empate em 0x0 no turno e derrota por 1x0 no returno, foi neste estadual que se abateu  uma tragédia sobre o Veneciano que jogaria em Vitória contra o Santo Antônio, mas um acidente em Acioli BR-101 vitimou Getúlio Martins técnico do clube, Michila atacante (Valdemir Germano Filho), Josias goleiro e Ferreira zagueiro estavam no Corcel de Getúlio que capotou várias vezes após perder o controle devido um pneu estourado. Isso fez com que o Veneciano abandonasse o estadual e nunca mais voltasse ao futebol profissional novamente, com isso o Leão também acabou se enfraquecendo, afinal todo clube precisa de um grande rival e o Leão perdia o seu. O último clássico entre Leão de São Marcos e Veneciano terminou com vitória do lado azul por 1x0 gol de Amauri. Curiosidade sobre o último encontro é que as duas equipes na noite anterior a partida foram até um terreiro de macumba, do Leão Iô e mais 14 ficaram  de 22 horas até altas horas da madrugada, no outro dia a noite mal dormida interferiu negativamente no desempenho de Iô que foi acusado de falhar no gol da derrota. 


1º Turno

Rio Branco 4x2 Leão de São Marcos
Leão de São Marcos 0x0 Veneciano 
Desportiva  8x1 Leão de São Marcos
Leão de São Marcos   0x0 Santos Barra de São Francisco 
América  0x0 Leão de São Marcos
Leão de São Marcos 0x1 Colatina 
Leão de São Marcos 0x0  Industrial
Leão de São Marcos 0x2 Vitória 
Leão de São Marcos 3x2 Ordem e Progresso 
Santo Antônio 2x1 Leão de São Marcos

2º Turno

Industrial 0x0 Leão de São Marcos
Leão de São Marcos 0x1 Rio Branco
Leão de São Marcos 0x0 Santo Antônio
Veneciano  1x0 Leão de São Marcos
Colatina  2x1 Leão de São Marcos
Santos Barra de Francisco 0x0 Leão de São Marcos
Ordem e Progresso  1x1 Leão de São Marcos
Leão de São Marcos 1x0 Desportiva
Leão de São Marcos 0x0 América 
Vitória  0x1 Leão de São Marcos


De pé :Dr. Sarinho, Natal, Bebeto, Puri, Iô, Luis Paulo, Tuca
Agachados : Carivaldo, Deusdete, Tuira, Enoque Alexandre, Cesar (mascote)  Rodrigo Vignati.

Em 1980 o clube participou novamente do estadual, a campanha foi mediana sem empolgar mas sem decepcionar, a balança não pesou ficando no meio termo, após o fim do estadual o Leão encerrou as atividades profissionais devido ao acúmulo de dívidas. O clube sempre ensaia se reerguer e retornar ao futebol profissional mas por enquanto apenas aparições esporádicas no futebol amador como nas Copas Norte de 2009 e 2011.

Algumas partidas no estadual de 1980.
Colatina  2x0 Leão de São Marcos 
Leão de São Marcos  3x2 Ibiraçu
Leão de São Marcos  2x1 Nacional 
Leão de São Marcos  0x0 Barrense 
América 4x0 Leão de São Marcos 
Leão de São Marcos  1x0 Nacional 
Leão de São Marcos  0x1 Colatina 
Ibiraçu 2x1 Leão de São Marcos 
Leão de São Marcos  0x1 América
São Mateus 2x0 Leão de São Marcos 
Barrense  3x2 Leão de São Marcos 
Ibiraçu 1x1 Leão de São Marcos 

No início de 2000 o Leão de São Marcos participou de uma fusão com Nova Venécia , assim nascia a Sociedade Esportiva Veneciano denominado o primeiro clube empresa do estado, chegou até a disputar a Série A em 2002,2003 e 2005 mas sem muito brilho ficava sempre pelo meio da tabela e não trazia retorno, isto levou a extinção do clube.

O Leão de São Marcos não possui títulos no futebol profissional mas tem muitas conquistas no futebol amador, e tem grandes nomes que já vestiram o manto canarinho do clube, como o campeão Mundial pela seleção em 1994 Viola e o folclórico Túlio Maravilha são dois exemplos de quem já jogaram no clube. Mas de jogador local Iô (Máximo Faria de Deus) goleiro é um dos maiores destaques, isso mesmo vindo do rival que jogando lá jamais enfrentou o Leão,  ele fechou o gol do Leão no estadual de 1977 sendo um dos melhores do campeonato, ele tinha tanta confiança dos torcedores e jogadores que em 1977 o leão encarava a Desportiva Ferroviária em um amistoso de preparação para o estadual, ele estava machucado mas depois que Evandro fez 1x0 Desportiva logo aos 5 minutos com gol de cabeça da risca da grande área de cobertura sobre o seu reserva ele foi chamado para entrar em campo.
Arquibancada do Estádio Zenor Pedrosa Rocha inaugurada no governo do Prefeito Xaph Abrahão da Costa em janeiro de 1971. Nesta ocasião foram 3 partidas entre Leão e Veneciano. E nas 3 o Leão venceu 2 contra 1 do Veneciano. 1º jogo : Leão 2x1 Veneciano, Orlando duas vezes para o Leão e Ciro para o Veneciano., 2º jogo: Leão 0 x 1 Veneciano, gol de Lamparina. e 3º jogo:Leão 2 x 0 Veneciano, gols de Urbano e Silva



Click na imagem para ver em tamanho real matéria sobre o nome mais bonito do mundo
Click na imagem para ver em tamanho real matéria sobre o nome mais bonito do mundo




O grande clássico de Nova Venécia prestes a ser disputado mais uma vez.

Modelo titular mais utilizado pelo clube 





Modelo reserva





Uma das últimas aparições do Leão de São Marcos pelos gramados do Espírito Santo na disputa da Copa Norte em 2009.


Viola defendendo o Leão na Copa Norte de 2009
Imagem relacionada
Túlio em 2011 disputou uma partida pelo Leão de São Marcos durante a Copa Norte, a partida foi contra o Santo Antônio de Rio Bananal que atropelou por 4x1, mas adivinha quem fez o gol de honra do Leão, Túlio que segundo as suas contas chegava aos 958 gols na carreira, este foi o "Gol Pedra do Elefante", em homenagem um dos símbolos de Nova Venécia.


Um registro do grande clássico entre Leão e Veneciano









Leão em 1962


Leão na década de 50



Equipe Sub-15 com modelo número II da equipe

Leão de São Marcos década de 50
Leão na década de 70 com escudo diferente, círculo em torno do Leão de São Marcos.



Estádio Zenor Pedrosa Rocha a casa do Leão de São Marcos

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Clube Atlético Companhia Central

Nome : Clube Atlético Companhia Central
Data : 06 de fevereiro de 1933
Local : Vila Velha





Em 6 de fevereiro de 1933 foi fundado Clube Atlético Companhia Central, formado por trabalhadores da Companhia Central de Força Elétrica a C.C.B.F.E. Mas antes de falar do time de futebol vamos conhecer a história da empresa por trás do clube. 
Até 1927 a energia gerada para atender a demanda no Espírito Santo precisava ser aumentada, com isso foi criada a C.C.B.E.F em 26 de agosto de 1927, sua sede ficava em Vitória com uma sub sede em Cachoeiro de Itapemirim, Sul capixaba. A C.C.B.F.E explorava os serviços de energia elétrica em quase todo o Estado do Espírito Santo, além dos serviços de transporte de passageiros através de bondes, barcas e telefonia, durante os primeiros anos não era um serviço digno, inclusive os empregados sofriam com condições precárias e até demissões sem motivo, a partir disso em 12 de julho 1931 se criou o Sindicato dos Operários e Empregados da C.C.B.F.E.

Registro da fundação co clube da C.C.D.F.E
Em abril de 1933, foi eleita a primeira diretoria da Federal Regional do Trabalho do Espírito Santo para o exercício 1933 a 1934, que seria empossada no mesmo mês, em ato solene, sendo eleito Gilberto Gabeira para presidente. Antes disso foi fundado um clube de futebol com os trabalhadores como a base da equipe, o Atlético Central que tinha como objetivo a pratica de esportes de seus empregados, por várias vezes disputou partidas amistosas pela grande Vitória, inclusive contra equipes que jogavam o campeonato estadual pela Federação Rio Branco, Vitória e Santo Antônio, mas era no amador suburbano mesmo que eles se apresentavam com frequência, lá era um adversário duro, a força física era sua maior marca. 
Anos depois a equipe de futebol teve o mesmo destino da empresa C.C.D.E.F  que foi extinta dado lugar a Escelsa em 1950.
Raridade imagem inédita do Atlético Central com sua Madrinha Senhorita Miriinha Grijó



Modelo titular

Modelo reserva

Bonde centenário da empresa C.C.D.F.E  levando o simbolo da empresa adotado pelo time de futebol


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Atlético Esporte Clube de Vila Velha



Nome : Atlético Esporte Clube
Data : 2 de fevereiro de 1944
Local : Vila Velha

Em 2 de fevereiro de 1944 era fundado em Aribiri , Vila Velha o Atlético Esporte Clube. Jogou a Série A e B diversas vezes, entre os anos 50, 60 e 70, além da Taça Cidade de Vitória que a partir de 1962, passou a ser uma competição separada do campeonato estadual, antes ela valia como estadual geralmente disputada apenas por clubes da capital. Atlético disputou nos anos de 1962,63,64,65,66 e 67. Estadual de 1969 é o último registro do clube em competição oficial, mesmo sem partidas oficiais sua sede foi inaugurada em 2 de dezembro de 1977.


Placa com as datas exatas relacionadas ao clube de Vila Velha.

O Atlético disputou vários torneios amadores, seu maior rival era o Santos de Aribiri, que na verdade tinha sede em Paul mas estádio em Aribiri. Além do Santos enfrentava também o América de Vila velha que muitas vezes confundido com o América de Vitória 1º campeão estadual em 1917, Vasco da Gama FC, Campos Salles , Botafogo  entre outros em Vila Velha onde haviam vários torneios muito disputados fora do campeonato estadual.



Resultado de imagem para Atlético Esporte Clube Aribiri
Estádio do Santos onde por vários anos foi usado como casa pelo AEC






Registro do título da Série B de 1957, partida de 15 de maio de 1957 Atlético 3x1 Santa cruz 

No aniversário de 14 anos do Atlético foi dusoputada a Tala Dilio Penedo na praça de esportes do 3º B.C, o Atlético enfrentou o Sana Cruz de Santa Lúcia Vitória, Tunico entou no lugar de Gidinho e marcou o tento que deu a vitória e o título da taça.

Em 1958 o Atlético participou de algo muito curioso, em 1º de dezembro de 1958 perdia para o Centenário por 2x1 na Série B quando a partida foi interrompida, no ano seguinte as equipes voltaram a disputar os 5 minutos que faltavam, e não e que o Atlético sofreu empate, o Centenário conseguiu buscar o empate com Carlinhos. O Centenário foi com José Vieira, Antônio, Manoel, João Augusto, Osman, José, Ezequiel Nonaldo, Zatta, Taciano e Atila. Já o Atlético disoutou a "pugna" com Jorge, Marquinhos, Hamilton, Carlinhos, Aderaldo, Paulo, israel, José Angelo, Waldemar, Getúlio e Ormelino.

1969 na Taça Cidade de Vitória é a última competição que se tem registro do Atlético. Uma partida amistosa contra a Desportiva Ferroviária em 20 de agosto de 1969 no Estádio Engenheiro Araripe com derrota por 5×0 é o último registro contra uma equipe profissional.


Verdadeira raridade, uma foto do Atlético da década de 70


Resultado de imagem para Atlético Esporte Clube Aribiri
Em pé: Toninho Cabeção, João Bobo, Roberto Zatta, Washington Varejão, Ozório e Silvinho Almeida. Agachados: Sabara, Reinado Cabrita, Josué, Delio Queiroz e Geruazio Queiroz.


Alguns troféus e materiais do clube na Casa da Memória em Vila Velha




Modelo titular do AEC

Modelo reserva do AEC

Modelo visto em várias ocasiões